O dia 16 de Novembro de 2012 ficou marcado por condições de forte instabilidade atmosférica, com a formação de uma intensa linha convectiva proveniente de SW e que atingiu a zona entre Lagos e Albufeira, com especial destaque para os concelhos de Lagoa e Silves. O final da manhã caracterizou-se por precipitação muito intensa, acompanhada de trovoada moderada e culminando, por volta das 13 horas, na formação de um tornado no mar (nesta altura era o que se chama de "tromba de água"). Este entrou em terra a W de Carvoeiro, onde causou prejuízos avultados nas zonas urbanizadas ali existentes, seguindo em direcção a N-NE e causando muitos estragos no seu percurso, tendo sido afectadas partes significativas da cidade de Lagoa e, depois, de Silves. O seguinte vídeo foi captado em Lagoa, na hora antes da formação do tornado.

Trovoada em Lagoa, na hora antes do Tornado de 16/11/2012

Vídeos de 2010 a 2012

No dia 14 de Novembro de 2011, uma forte linha de instabilidade proveniente de W aproximou-se de Silves, sendo acompanhada de forte trovoada e precipitação abundante. O seguinte vídeo captou essa mesma aproximação.

Trovoada em Silves, no dia 14-11-2011

Vídeo de uma trovoada que afectou a zona de Silves no dia 28 de Maio de 2011 e que proporcionou um belo espectáculo de actividade eléctrica nos céus. 

Trovoada em Silves, no dia 28-05-2011
Trovoada em Silves, no dia 17-09-2010

Pequeno vídeo de uma trovoada que passou a Este de Silves no dia 17 de Setembro de 2010, e que permitiu a captação de alguns relâmpagos.

No dia 29 de Abril de 2011, formou-se uma pequena "funnel cloud", ou seja, uma nuvem em forma de funil, na zona de Silves. Normalmente, este tipo de nuvens está associado a supercélulas e à formação de tornados, uma vez que são os seus precursores. No entanto, neste caso a instabilidade atmosférica era relativamente fraca, verificando-se apenas a formação de algumas nuvens tipo "cumulus" decorrentes da passagem de uma frente fria. Nesta situação, embora não houvesse forte actividade convectiva, o ar mais frio da baixa troposfera, ao misturar-se com o ar da média troposfera que fluiria numa direcção diferente, causava alguma rotação nessa mesma massa de ar, formando-se, assim, a "funnel cloud" em causa.

Formação de uma "funnel cloud" em Silves