O projecto

 

Desde os primórdios dos tempos que os fenómenos atmosféricos maravilham os humanos. De manifestações dos Deuses, a castigos celestiais, foram várias as explicações para estes mistérios com origem nos céus. Em 350 a.C. Aristóteles escreve o primeiro livro sobre meteorologia, intitulado “meteorologica” e, mais tarde, no século IX, o naturalista curdo Al-Dinawari escreve o “Livro das Plantas”, onde são feitas as primeiras dissertações sobre fenómenos meteorológicos como o vento, tempestades e relâmpagos. Em Portugal, os primeiros registos e observações meteorológicas foram realizadas pelo médico Tomás Heberden, no Funchal, entre os anos 1747 e 1753. Desde essa data, a ciência da meteorologia sofreu avanços muito significativos, com especial destaque para o século XX. Actualmente, grande parte destes fenómenos já tem a devida explicação científica, embora ainda subsistam muitos “segredos” por desvendar, na sua totalidade.

 

Permanece, no entanto, a “magia” subjacente à observação directa dos fenómenos atmosféricos mais extremos, em que todo o poder da atmosfera é revelado aos olhos de quem os observa. Da pura emoção, à descarga de adrenalina sentida em cada relâmpago que atravessa os céus e ao medo intrínseco do desconhecido, são estas sensações que impelem os “caçadores de tempestades” a perseguirem essas mesmas manifestações da atmosfera, com o objectivo de as “viverem” e de capturarem esses momentos em fotografia e vídeo.

 

Nasce, assim, o projecto ExtremAtmosfera, que tem como objectivo eternizar, em fotografia e vídeo, as várias manifestações atmosféricas ocorridas em solo português e, sempre que possível, noutros locais do planeta, partilhando-as, depois, com todos os interessados através do presente site.

 

 

A equipa

 

A equipa ExtremAtmosfera é constituída por 2 elementos, que partilham a paixão por este tema e que tentarão captar e partilhar as melhores imagens possíveis.

 

Tinha eu cerca de 8 ou 9 anos quando, uma trovoada de grandes dimensões ocorrida na zona de Lagoa, ficou para sempre entranhada em mim. Do medo sentido na altura, surgiu o interesse em conhecer mais sobre o fenómeno em causa e, desde essa altura, a observação de trovoadas passou a ser um objectivo e uma paixão cada vez maior e que, com o passar dos anos, se alastrou a todos os outros tipos de manifestações mais extremas da atmosfera.” - Bruno Gonçalves.

 

"Desde pequeno que me lembro de acordar a meio da noite, abrir a janela do quarto e ficar a observar a beleza de uma bela trovoada, a cada relâmpago um arrepio, um mix de medo com excitação. Este gosto pela misteriosidade da meteorologia não se explica, sente-se a cada relâmpago." - Pedro Gonçalves.

Bruno Gonçalves

I'm a paragraph. Click here to add your own text and edit me. It’s easy. Just click “Edit Text” or double click me to add your own content and make changes to the font. 

  • Black Twitter Icon

Henrique Gonçalves

I'm a paragraph. Click here to add your own text and edit me. It’s easy. Just click “Edit Text” or double click me to add your own content and make changes to the font. 

  • Black Twitter Icon